Marlom Williams e The Blinders fecham cartaz do Palco EDP do SBSR.

Palco EDP é sempre um dos principais motivos de interesse do Festival, um palco alternativo, de artistas internacionais, muitas vezes em estreia, e artistas portugueses em ascensão, que este ano surge ainda mais eclético. Os ritmos são diversos e os dois nomes agora anunciados atestam, não só a diversidade, como a qualidade a que a programação deste palco desde sempre nos habituou: Marlon Williams e The Blinders juntam-se a Metronomy, Charlotte Gainsbourg, Masego, Superorganism, Capitão Fausto, Branko, Dino D’Santiago, Gorgon City, FKJ, Calexico and Iron & Wine, Glockenwise, Conjunto Corona e Rubel, numa programação de luxo no Palco EDP.

Diretamente da Nova Zelândia, o músico Marlon Williams é uma das principais vozes da sua geração. E esse facto ficou bem evidente no seu disco de estreia, o disco homónimo editado em 2015, e nos seus inúmeros espetáculos ao vivo desde então. O jovem Marlon cresceu numa família de melómanos e a sua dieta musical sempre incluiu nomes como Beatles, PJ Harvey, Townes Van Zandt, Mozart, Echo & the Bunnymen, entre outros. Marlon Williams é dono de uma vibração muito particular, uma força quase sobrenatural capaz de tocar qualquer pessoa que se encontra com as palavras cantadas deste crooner do presente – e as comparações com nomes como o do grande Roy Orbison são inevitáveis. Marlon é dono de uma voz que não se esquece, mas também é capaz de escrever canções de amor como poucos. O seu último disco, Make Way For Love, é o melhor exemplo dessa capacidade. De coração partido, depois do fim de uma relação, Marlon William oferece-nos um conjunto de canções que misturam country, indie, soul e pop com enorme mestria, estilos que se encontram sobre uma atmosfera um tanto sombria e melancólica, sempre a combinar com a história que é cantada (e que antes havia sido vivida). «What’s Chasing You», «Beautiful Dress» e «Nobody Gets What They Want Anymore» serão alguns dos momentos mais esperados pelo público do Super Bock Super Rock


«What’s Chasing You»

Quem acredita que o punk já morreu, deveria ouvir The Blinders com alguma urgência. E essa é mesmo a palavra mais adequada para descrever esta banda de Doncaster: urgência. Os Blinders tocam com toda a urgência do punk, sem grandes voltas, indo direto ao assunto e com a máxima energia. O guitarrista e vocalista Thomas Haywoo, o baixista Charlie McGough e o baterista Matthew Neale formaram a banda em 2014, quando ainda estudavam juntos na cidade de Manchester. O ano seguinte foi passado a escrever, compor, ensaiar e a tocar ao vivo sempre que surgia essa oportunidade. A fama deste trio inglês cresceu muito rapidamente, graças à sua energia contagiante, às letras politizadas e ao tal espírito punk, intocável e irresistível. E foram esses mesmos ingredientes que fizeram o sucesso do EP de estreia, Hidden Horror Dance, editado em 2016. Inspirados por nomes como Iggy Pop, Nick Cave, Bob Dylan, The Fall e John Cooper Clarke, os Blinders também estão empenhados em criar a sua própria linguagem, entre o punk e um universo mais psicadélico. Columbia, editado 2018, é o primeiro disco desta banda britânica e servirá também de mote para o concerto no Palco EDP, na próxima edição do Super Bock Super Rock.


«Brave New World»

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *