O festival Terras Sem Sombra termina em Santiago do Cacém.

O último último encontro do Terras Sem Sombra acontece em Santiago do Cacém, nos próximos dias 30 de junho e 1 de julho. A 14.ª edição do festival termina com Kurtág e Fragmentos de Kafka. Ao longo de dez fins-de-semana, o Terras Sem Sombra deu corpo a uma temporada musical, patrimonial e ambiental e situou o Alentejo no mapa da cultura europeia, como destino privilegiado de arte e natureza. Em 2018, o programa teve como país convidado a Hungria, e registou quase meia centena de atividades, todas gratuitas.

 

Música

A igreja matriz de Santiago acolhe dia 30 de junho, às 21h30, o concerto de encerramento do festival, intitulado «Fragmentos Vitais: Kurtág e a sua Circunstância». Uma peça fundamental da criação dos nossos dias, mas muito pouco escutada em Portugal, Fragmentos de Kafka, de György Kurtág, constitui o cerne de uma panorâmica da música contemporânea húngara que apresenta também obras de Béla Bartók, Péter Eötvös, Miklós Csemiczky, Gyula Fekete e Bella Máté, alguns dos compositores mais conhecidos desse país. Para um programa tão abrangente, desloca-se de Budapeste um grupo de músicos de elite: a soprano Andrea Brassói-Jőrös, o violinista Máté Soós, o pianista Péter Kiss e o clarinetista Péter Szücs. Outra presença a assinalar é a do compositor e maestro Gyula Fekete, autor de uma das mais recentes peças do repertório que se vai ouvir, Csárdás, inspirada numa famosa dança tradicional da Hungria, e vice-reitor da Academia Liszt.

 

Património

A tarde do dia 30, a partir das 15h00, tem por alvo a propriedade Quinta de São João, nos arredores de Santiago do Cacém, uma das mais belas quintas de recreio do litoral alentejano. Situa-se nos Escatelares, zona famosa pela abundância de água, o que levou a ser escolhida, no século XVIII, como assento de quintas pertencentes à aristocracia local. Sobressai pela imponência do conjunto edificado e pela riqueza natural, a propriedade alterna jardins, ruas arborizadas, hortos, pomares e mata. Não faltam também árvores raras, algumas oriundas do Extremo Oriente.

 

Biodiversidade

Na manhã de 1 de julho, às 9h30, o Terras Sem Sombra acompanha o escritor e psicanalista argentino Arnoldo Liberman numa visita à antiga Judiaria, em pleno centro histórico de Santiago do Cacém. O acto constitui uma chamada de atenção para a memória do bairro judeu, desaparecido no século XVII, quando a sua comunidade, perseguida pela Inquisição de Évora, se dispersou.

 

Nota: Todas as atividades são de acesso livre.

 

La Bohemie.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *