O Lisboa Dance Festival terá uma exposição com curadoria de John Romão.

A 3.ª edição do Lisboa Dance Festival faz-se não só de Música, como também de Talks e Arte. Durante os dias 9 e 10 de março, dois armazéns do Hub Criativo do Beato vão receber a exposição “Visceral Monuments”, com curadoria do diretor artístico da BoCA, John Romão.

A exposição “Visceral Monuments” é como uma dança no sentido em que edifica no espaço monumentos a corpos orgânicos e festivos, incansavelmente, através das suas batidas. Tal como a música, a dança pode ser uma expressão de ordem, de fascínio e reiteração do coletivo. E se a dança é imagem de movimento, ela é igualmente imagem de qualquer ato criador verdadeiro. Toda a criação autêntica, necessária – a luta pelo reconhecimento do outro, da diversidade, um gesto político, a implementação de uma crença – é uma dança, no sentido em que este ato, esta criação, convoca o corpo na sua totalidade, desperta ritmos internos e arcaicos. Durante dois dias, a BoCA – Biennial Contemporary Arts, em parceria com o Lisboa Dance Festival, apresenta obras de mais de 12 artistas, entre nacionais e internacionais, na Fábrica das Bolachas e na Sala de Massas, no Hub Criativo do Beato, desde a abertura de portas até à meia-noite. A exposição contará com obras dos artistas internacionais Boris Charmatz & César Vayssié, Brice Dellsperger, Claudia Maté, Gregor Rozanski, Tania Bruguera e, ainda, artistas portugueses como André Romão, Diogo Evangelista, João Pedro Vale & Nuno Alexandre Ferreira, Tiago Alexandre e João Onofre. Destaque para este último, considerado um dos artistas visuais mais relevantes da geração que emergiu nos últimos anos em Portugal. As referências sonoras, em especial a música, cunham de forma quase transversal a sua obra. E igual destaque para a artista cubana Tania Bruguera que foi, recentemente, escolhida para criar uma obra para a Turbine Hall da Tate Modern.

Outra novidade que merece reconhecimento é o facto da Live Experiences, no âmbito do Lisboa Dance Festival, investir num projeto de Ação Social na Junta de Freguesia do Beato. A produtora do Festival, em parceria com a Câmara Municipal de Lisboa, irá melhorar as condições do “Espaço Jovem”, contribuindo assim para o desenvolvimento pessoal, profissional e artístico dos jovens moradores do Beato.

 

La Bohemie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *