Os 15 concertos que não podes perder no NOS Alive.

Já lá vão os meses em que os passes gerais e os bilhetes diários do NOS Alive esgotaram e agora faltam apenas 10 dias para começar a 11ª edição daquele que é considerado um dos melhores festivais de música do país. Durante os dias 6, 7 e 8 de julho dezenas de artistas irão passar pelo Passeio Marítimo de Algés e actuar em seis palcos diferentes e no pórtico do Festival. São tantas as escolhas e indecisões que reunimos as 15 bandas que não podes mesmo perder. Mas há muito mais para ver.

 

Dia 6

 

Rhye

Em 2012 lançaram o EP «Open» e em 2013 – poucos meses depois de se ter lançado nesta odisseia – a dupla lançou o primeiro LP, Woman, que sem surpresas conseguiu críticas inimagináveis em meios da especialidade. O duo, formado pelo vocalista canadiano Mike Milosh e pelo produtor dinamarquês Robin Hannibal, actuaram no Alive nesse mesmo ano e regressam agora, quatro anos depois, com as sensuais e poderosas composições que vão garantidamente contribuir para mais um sucesso do Palco Heineken, que desde a sua génese conta com um dos mais brilhantes alinhamentos dos festivais de música mundiais.

 

Glass Animals

Glass Animals, a banda revelação de 2016 sobe igualmente ao Palco Heineken para apresentar o segundo álbum de originais, How To Be A Human Being. O sucessor de ZABA – o primeiro registo de estúdio editado em 2014, ano em que a banda actuou em Portugal – foi apresentado ao público em agosto do ano passado e teve como singles de apresentação os bem-recebidos temas «Life Itself» e «Youth». Este segundo disco veio confirmar as elevadas expectativas deixadas após o lançamento do primeiro disco, garantindo à banda indie rock um lugar de destaque como uma das maiores promessas deste ano.

 

Alt-J

O grupo inglês regressa a Algés e ao Palco NOS, depois de ter passado pelo recinto em 2013 e 2015, mas nunca é demais assistir aos concertos de uma das mais aclamadas bandas de rock alternativo dos últimos anos. Os Alt-J chegam a Portugal muito provavelmente com novidades, não tivesse a banda lançado recentemente um novo álbum. Joe Newman, Thom Green e Gus Unger-Hamilton trazem, assim, na bagagem os já conhecidos álbuns An Awesome Wave (2012) e This Is All Yours (2014) e agora Relaxer, disco do qual fazem parte os temas «3WW», «In Cold Blood» e «Adeline».

 

The XX

O trio britânico The XX está de volta a Portugal e desta vez vai subir ao Palco NOS para apresentar o mais recente disco de estúdio, I See You. Editado em janeiro deste ano, o álbum marca uma nova era para o trio londrino, tanto a nível sonoro, como a nível criativo. Ao contrário dos dois trabalhos anteriores – XX (2009) e Coexist (2012) -, I See You foi produzido com maior espaço temporal, entre março de 2014 e agosto de 2016, e é caracterizado por ser o disco da banda mais ousado, claro e ambicioso de sempre. «On Hold», «Say Something Loving» e «Dangerous» são simplesmente fabulosas.

 

The Weeknd

O revolucionário cantor e compositor alternativo de R&B é considerado um dos mais enigmáticos artistas do século XXI e o cabeça de cartaz do primeiro dia do Festival. O cantor canadiano sensação regressa a Portugal, mas será uma estreia no NOS Alive, onde irá apresentar temas de Starboy, o seu novo álbum, editado no ano passado. Em 2010, o artista começou a libertar algumas das suas criações incognitamente no Youtube e em 2011 conseguiu chamar a atenção da crítica e conquistou milhares de fãs com as três aclamadas mixtapes «House of Balloons», «Thursday» e «Echoes of Silence». Em 2015 The Weeknd faz a grande passagem do mundo underground sensação da internet para os principais palcos da cena musical actual, com o lançamento do disco Beauty Behind The Madness. O segundo álbum de estúdio do músico, que conta com temas como «The Hills», «Can’t Feel My Face» e «Earned It». Starboy, o mais recente longa-duração do artista, apanhou os fãs de surpresa quando foi apresentado com a colaboração da dupla francesa Daft Punk e ainda Lana Del Rey, Kendrick Lamar e Future.

 

Dia 7

 

Wild Beasts

Os Wild Beasts gostam tanto de Portugal que regressam este ano para apresentar o disco Boy King no segundo dia do NOS ALive, no Palco Heineken. Com cinco discos e quatro EPs na bagagem, foi em 2009 com o disco Two Dancers que os Wild Beasts chamaram a atenção da crítica especializada e ficaram conhecidos pela originalidade da sua sonoridade. É também a voz distinta do vocalista Hayden Thorpe a responsável da reinvenção da pop eletrónica, fazendo destas bestas selvagens uma das bandas inglesas mais frescas e entusiasmantes da actualidade. «Get My Bang», «Big Cat» e «Tough Guy» são os singles apresentados para este novo álbum.

 

Parov Stelar

Parov Stelar regressa ao NOS Alive e ao Palco Heineken, depois de ter actuado na edição de 2014. A banda conhecida pelas suas actuações electrizantes é liderada por Marcus Fuereder, o austríaco com mais sucesso internacional, e traz a Portugal o Electro Swing mais viciante e requisitado em todo o mundo. Até à data, o grupo conta com nove discos de estúdio e mais de 20 EPs independentes. Este ano, Parov Stelar vai lançar-se numa massiva digressão onde apresentará temas do quarto álbum, The Burning Spider, que inclui os êxitos «Grandpa’s Groove» e «Mama Talkin» e «Cuba Libre».

 

Savages

As britânicas Savages são outras amantes do nosso país e regressam este ano para apresentarem o último trabalho de estúdio, Adore Life, também no Palco Heineken. Todos os temas do segundo longa-duração, editado em janeiro de 2016, foram escritos e interpretados pelos quatro elementos da banda, liderada por Jehnny Beth. Intensas e magnéticas em palco, as Savages prometem um concerto inesquecível no NOS Alive. A energia que lhes é característica volta a estar presente no segundo registo de estúdio.

 

The Kills

Depois de tantos concertos extraordinários em Portugal, The Kills regressam ao NOS Alive para actuar no palco principal, naturalmente. Na bagagem a banda transatlântica traz quatro álbuns de originais fortemente aplaudidos pela crítica e pelos fãs, incluindo o novo álbum de estúdio Ash & Ice, sucessor do aclamado Blood Pressures, editado em 2011.. Para além da bem sucedida discografia, a dupla – composta por Alison Mosshart, Jamie Hince –  é igualmente conhecida pelas estonteantes e electrizantes actuações ao vivo. Donos de uma energia ímpar, este par faz-se notar em qualquer palco e não deixa ninguém indiferente.

 

 

Talvez uma das bandas mais esperadas do NOS Alive e cabeça de cartaz do segundo dia do Festival. Com mais de 20 anos de carreira, desde o lançamento do álbum de estreia, editado em 1995, os Foo Fighters, são hoje considerados uma das maiores bandas rock de sempre. A banda de Dave Grohl – formada também por Taylor Hawkins, Nate Mendel, Chris Shiflett e Pat Smear – está em digressão europeia e actuou no sábado passado no festival Glastonbury, onde apresentou temas novos, como «Run», que farão parte do seu próximo álbum, Concrete And Gold. Por cá, esperamos o mesmo, assim como os velhos e mais que conhecidos clássicos.
Dia 8

 

Peaches

Peaches, a provocadora canadiana conhecida pelas suas exóticas actuações, está de regresso a Portugal para apresentar o quinto registo de originais e o seu mais inequívoco álbum de sempre, RUB. O mais recente trabalho, que surge de um longo hiato de estúdio, foi uma declaração musical audaciosa e aventureira e a última entrada em uma conversa que Peaches abriu há 15 anos e que o mundo pode ter finalmente alcançado. Agora vamos poder ouvi-lo no Palco Heineken no último dia do Festival.

 

Fleet Foxes

Editaram há 10 dias o novo álbum de estúdio – Crack-Up – e é completamente diferente do que nos habituaram até agora. Os Fleet Foxes há muito que conquistaram o panorama da música internacional e agora sobem ao Palco Heineken para nos mostrar as novidades. ​O terceiro disco da banda de Seattle conta com nove canções escritas pelo vocalista Robin Pecknold e vem suceder o álbum de êxito Helplessness Blues lançado no longínquo ano de 2011.

 

Kodaline

O quarteto de Dublin também não é uma estreia em Portugal. Aliás, é o terceiro ano consecutivo que actuam no NOS Alive, mas o que é bom é para se ver e ouvir. Os Kadaline vão subir ao Palco NOS com dois álbuns já bastante conhecidos, In a Perfect World (2013) e Coming Up for Air (2015) mas prometem novo disco ainda este ano. Para já, podemos ouvir o novo single, «Brother».

Imagion Dragons

 

Quem também regressa com novidades são os americanos Imagion Dragons. Autores de êxitos como «It’s Time» e «Radioactive» – que tocaram na edição de 2014 – vão subir ao Palco NOS com temas dos dois primeiros álbuns de originais, Night Vision (2012), Smoke + Mirrors (2015) e, agora, com músicas do terceiro, Evolve, editado há três dias. Por isso, neste concerto podemos ouvir temas como «Believer», «Thunder» e «Whatever It Takes».

 

Depeche Mode

 

Depeche Mode são os cabeça de cartaz do terceiro e último dia do NOS Alive, e o primeiro a esgotar os bilhetes diários. Em digressão com a “Global Spirit Tour”, Dave Gahan, Martin Gore e Andy Fletcher prometem aos fãs um espectáculo inovador e intensamente emotivo. Spirit foi editado em março deste ano e é 14.º disco de originais do grupo, sucessor do aclamado Delta Machine. Um concerto muito esperado nesta 11ª edição do NOS Alive.

 

La Bohemie

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *