Os And So I Watch You From Afar invadiram o Musicbox Lisboa

Depois de em 2015 nos terem presenteado com Heirs, os And So I Watch You From Afar editaram no dia 20 de outubro o quinto álbum, The Endless Shimmering, e apresentou-o agora ao público – primeiro no Porto, depois em Lisboa, no dia 30. O grupo da Irlanda do Norte é uma das bandas mais interessantes no que toca ao post rock/ math rock e, mais uma vez, não desiludiram. Estão menos focados na contemplação melancólica do que os seus pares de género, e mais na libertação de energia, na imprevisibilidade rítmica e na destreza técnica. Aliás, o quarteto irlandês tem vindo, desde a estreia homónima em 2009 e até ao mais recente disco, a afirmar-se como um nome impossível de contornar no panorama da música instrumental.

Com um som bastante deferido, deram um concerto que teve tanto de bruto como de relaxante, passando do típico headbang para as viagens entre os reverbs e o noises criados com as guitarras – típicos da sonoridade post rock e hardcore. Os ASIWYFA começaram com «Search:Party:Animal» e provaram, mais uma vez, que têm material intenso, carregado de riffs estridentes e rápidos, os reels entranham-se nos nossos ouvidos e vão se repetindo, capazes de incendiar qualquer público. Algumas músicas contam com voz, outras são puramente instrumentais, onde se percebe que cada instrumento ocupa a sua posição de forma bem marcada. O quarteto – composto por Rory Friers na guitarra, Tony Wright na outra guitarra, Johnny Adger no baixo e Chris Wee na bateria – decidiu que não era só o The Endless Shimmering, último disco lançado, que vieram apresentar. Ao contrário do que se esperava, o concerto não se centrou maioritariamente em temas do seu último disco, mas tivemos a oportunidade de ouvir pela primeira vez ao vivo músicas como «A Slow Unfolding of Wings», «Dying Giants» e «Terrors of Pleasure», temas que captaram a atenção do público. Já «Set Guitars To Kill» e «Run Home» não foram esquecidas. Ao fim de pouco mais de uma hora de concerto a banda saiu do palco e voltou após muitas palmas e assobios para um encore de três músicas, no qual tocaram «Eunoia», «Big Things Do Remarkable» e «The Voiceless», desta vez com a ajuda dos fãs que, ao contrário do que aconteceu em 2015, não chegou a lotar a sala do Musicbox.

 

 

Fotos: Pedro Casinhas

 

Alinhamento:

  • Search: Party:Animal
  • Like A Mouse
  • Terrors Of Pleasure
  • B.U.M.C
  • Wasps
  • A Slow Unfolding Of Wings
  • Dying Giants
  • 7 Billion People
  • Don’t Waste Time
  • Set Guitars To Kill
  • Run Home
  • Eunoia
  • Big Things Do Remarkable
  • The Voiceless

 

La Bohemie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *