Perdidos no Bosque | Indie Music Fest 2017

O Indie Music Fest realizou-se entre os dias 31 de agosto e 2 de setembro num lugar muito especial – talvez uma das características mais marcantes do evento -, um bosque acolhedor em Baltar, concelho de Paredes. Durante três dias ouviu-se música de artistas e bandas nacionais, num ambiente calmo, hostil e encantador.
Este ano vivi a experiência pela primeira vez e confesso que fiquei impressionado com o que se encontra no Bosque encantado. Apesar de ter indie no nome, a música que ouvimos no Festival é muito diversificada – desde a electrónica, o indie rock, ao hip-hop e ao metal. A juntar a este ambiente idílico, os grupos de amigos que se reúnem no campismo dão vida a essa zona específica do bosque. No Indie, vivemos um ambiente descontraído e despido, onde nos podemos desligar do mundo e vivê-lo despreocupados com tudo o que nos rodeia. O facto de ser considerado um microfestival e ter menos público em comparação com outros festivais, confere-lhe um ambiente de proximidade entre os seus visitantes. Um festival pequeno e ideal para passar bons momentos com bons amigos, ver boas bandas e fazer parte da habitual festa que encontramos neste local. O campismo encontra-se muito próximo do recinto, o que não nos faz perder tempo em viagens que por vezes se tornam chatas noutros locais, e ainda nos permite fazer uma boa gestão do mesmo de forma a aproveitar melhor o ambiente no acampamento e ver concertos sem grandes correrias. O Bosque tem espaços muito agradáveis e todo o recinto está bem construído e distribuído, o que ajuda a passar os tempos “mortos” enquanto se aguardam os concertos. Podemos, ainda, desfrutar da piscina através dos transferes disponibilizados pelo Festival. Os concertos começam sempre ao final da tarde e acontecem entre os quatro palcos do festival e foram algumas as surpresas este ano no Indie Music Fest, que aposta cada vez mais em artistas independentes que não têm a exposição que deviam e merecem. Exemplo disso são os concertos de Foque e Pãodemónio, os que mais me surpreenderam. E destaco da mesma forma Rapaz Ego, Stone Dead e Nice Weather For Ducks. Os concertos de Pás de Problème e Conjunto Corona foram provavelmente os mais animados do festival e que causaram mais hype no decorrer do mesmo. Apesar de ter sido uma estreia, notei que o cartaz deste ano não se encontrava tão composto em relação a edições anteriores, o que pode ter comprometido a adesão ao Festival. Ainda assim, a experiência é agradável e recomenda-se, no geral o Indie é um ótimo festival, do qual guardo boas memórias e o desejo de voltar. O Festival regressa para o ano nos dias 6, 7 e 8 de setembro.
 Fotos: Indie Music Fest
La Bohemie

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *