Rock in Rio – números que impressionam.

O Rock in Rio é considerado o maior evento de música e entretenimento do mundo. Ao longo de 16 edições, mais de 8.2 milhões de pessoas passaram pela Cidade do Rock. O evento foi transmitido, via TV e Internet, para mais de 200 países e visto por mais de mil milhões de pessoas. A grandeza destes números demonstra a real dimensão do Rock in Rio e revela que construir este evento não foi tarefa fácil.

 

Um espetáculo de artistas. Um espetáculo de marcas.

1.498 atuações ao longo de mais de 1.300 horas de música. Diversas atrações, atividades, um recinto com infraestruturas de qualidade e de elevada beleza arquitetónica e um cuidado inigualável com conforto do público. Estes são alguns dos fatores que fazem do Rock in Rio o maior evento de música e entretenimento do mundo e o evento onde o público quer estar.

Um espetáculo de números.

Em 30 anos de festival, o resultado obtido por patrocinadores e parceiros superaram as suas expectativas. Os números do Rock in Rio são um show à parte. O Rock in Rio é um espetáculo com retorno garantido para os parceiros.

  • Cerveja – 9.684.000 litros
  • Refrigerantes – 5.018.246 litros
  • Sanduíches – 7.717.667 unidades
  • Pizzas -4.337.667 fatias

– Em 1989, o Mc. Donald´s vendeu, em apenas um dia, 58 mil hambúrgueres. Este número valeu à marca entrada para o Guiness World Records, recorde que se mantém até aos dias de hoje.

– Em 2001, a Coca-Cola (refrigerante oficial do Rock in Rio “Por Um Mundo Melhor”) registou um aumento de 15% nas suas vendas.

– Antes do Rock in Rio, a América Online contava com cerca de 65.ooo assinantes no Brasil. Depois do Rock in Rio, ultrapassou os 400.000.

– Com a transmissão do Rock in Rio-Lisboa, em 2004, o número de telespectadores da SIC Radical aumentou 400%.

– Em 2008, no Rock in Rio Madrid, o Burguer King bateu recorde de vendas com 1.000 refeições vendidas por hora.

– Em 2011, a marca Bob´s vendeu 448 mil hambúrgueres. Destes, 79.112 foram vendidos em apenas um dia, batendo assim todos os recordes da história da marca.

– Na edição de 2013, a Batata no Cone vendeu 9.7 toneladas de batatas fritas.

 

Por um mundo melhor.

Em janeiro de 2001, o Rock in Rio foi responsável por uma das maiores ações de comunicação de todos os tempos. 3.522 emissoras de rádio e TV cortaram a sua emissão para três minutos de silêncio por “Um Mundo Melhor”. Esta ação impactou 92 milhões de pessoas no Brasil e, desde esse ano, o evento utiliza o seu potencial mediático para mobilizar a juventude, tendo já investido mais de 24 milhões de euros em projetos sociais e ambientais. Em 12 anos de presença em Portugal, em conjunto com os parceiros, o Rock in Rio-Lisboa investiu mais de 3 milhões de euros em causas socioambientais.

O que faz do Rock in Rio um evento especial.

  • Relações Públicas
  • Criação de Conteúdo Exclusivo
  • Uma Grande Campanha Publicitária

Estas três ferramentas, integradas ao longo do ano, possibilitam uma comunicação a 360º, gerando visibilidade global para o evento e os seus parceiros.

 – Mais de 11 milhões de seguidores nas redes sociais.

– Em 2015, mais de 536 milhões de pessoas impactadas no mundo, apenas nos sete dias de Rock in Rio, Brasil.

Trending topic mundial no lançamento do Rock in Rio USA.

– Em 2010, um estudo realizado pela Universidade Católica de Lisboa apontou o Rock in Rio como sendo mais relevante, para os portugueses, que o Campeonato do Mundo de Futebol.

– O Rock in Rio-Lisboa é o evento com melhor desempenho em Portugal. Em seis edições, o Rock in Rio-Lisboa somou mais de 39.000 notícias na imprensa nacional, o que corresponde a cerca de 130 milhões de euros de retorno.

Mais que um evento de música e entretenimento, o Rock in Rio é uma ferramenta de comunicação e promoção, nacional e internacional, quer dos países quer das cidades onde se realiza.

  • Visibilidade dos artistas
  • Impacto arquitetónico
  • Transmissão internacional

 

Impacto Económico.

O Rock in Rio gera impacto económico positivo. O evento fomenta o turismo, estimula a receita, gera empregos e movimenta a economia nas cidades onde se realiza.

– Em 1985, depois da primeira edição do Rock in Rio no Rio de Janeiro, a indústria fonográfica brasileira cresceu 180%.

– Em 2001, o Rock in Rio foi responsável por gerar 300 milhões de dólares para a economia da cidade do Rio de Janeiro.

– Desde que chegou a Portugal, o Rock in Rio-Lisboa gerou mais de 50.000 postos de emprego, entre diretos e indiretos. Nestes 12 anos, a organização do evento investiu cerca de 150 milhões de euros no país.

– Em 2010, um estudo realizado pela Universidade Católica de Lisboa revelou o impacto direto do evento: 102 milhões de dólares.

– Em 2011 e 2013, o evento teve um impacto económico de mil milhões de dólares na economia do Rio de Janeiro.

– Em 2013, segundo uma estimativa da Secretaria de Turismo do Rio de Janeiro (Riotur), o evento gerou um impacto de 420 milhões de dólares e contribuiu para uma ocupação hoteleira de 90%.

Um palco para grandes artistas e grandes marcas.

O merchandising Rock in Rio é mais um dos projetos da equipa de marketing do evento. Em cada edição, o evento estabelece parcerias com lojas e marcas, criando centenas de produtos que vão de um simples porta-chaves a um automóvel, passando por camisolas, refrigerantes, mochilas, ténis e muito mais.

Ativações de marcas.

O Rock in Rio é uma poderosa plataforma de comunicação e marcas que se associam ao evento e têm a oportunidade de se aproximar ainda mais do seu público. Durante um ano, o evento permanece como referência na imprensa, continuando a gerar visibilidade para as marcas parceiras que, por sua vez, criam ações promocionais dentro e fora do recinto que fidelizam consumidores e atraem novos clientes. Durante o evento, as marcas também “atuam” na Cidade do Rock, com ativações surpreendentes.

Fonte: Santander Totta

La Bohemie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *