Vodafone Mexefest: os concertos e estreias a não perder.

Está quase a começar mais uma edição do Vodafone Mexefest. Durante os dias 25 e 26, a cidade volta a mexer com o festival que acontece entre a Avenida da Liberdade e o Rossio. No total, serão cerca de 50 artistas a repartirem-se por uma dezena de espaços, como o Cinema São Jorge, o Teatro Tivoli, a Garagem EPAL, o Palácio Foz, a Sociedade Portuguesa de Geografia, o Coliseu dos Recreios, a Estação Ferroviária do Rossio e, pela primeira vez, o Teatro Capitólio, agora renovado, e que reabre oficialmente com o Mexefest.

Este ano há várias estreias a assinalar no cartaz, como o norte-americano Gallant, a cantora britânica NAO e o músico Chris Baio. Há ainda concertos que merecem alguma atenção, como os Digable Planets, Kevin Morby, Howe Gelb, Jagwar Ma, Whitney e TaxiWars.

 

Gallant

26 DE NOVEMBRO // COLISEU DOS RECREIOS // 20H20 – 21H10

É, provavelmente, um dos nomes mais falados do momento. Com traços finos de contemporaneidade, à música de Gallant cola-se uma voz imensa que faz deste jovem músico o futuro da música soul e R&B.

 

NAO

25 DE NOVEMBRO // COLISEU DOS RECREIOS // 22H20 – 23H10

NAO é Neo Jessica Joshua. Fazedora de um funk misturado com electrónica e R&B, estreou-se este ano com o magnífico For All We Know, um disco imperdível e que será destaque no Vodafone Mexefest.

 

Baio

25 DE NOVEMBRO // ESTAÇÃO VODAFONE.FM ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DO ROSSIO || IP // 21H15 – 22H05

Chris Baio é o baixista dos Vampire Weekend mas, para além de um apelido, o nome que a arte sonora do multi-instrumentista leva para nos oferecer a mais cativante e interessante música pop feita de eletrónica dos nossos dias. Depois de dois EP, Mira e Sunburn, Baio estreou-se o ano passado em formato longa duração com The Names.

 

Digable Planets

26 DE NOVEMBRO // CINEMA SÃO JORGE – SALA MANOEL DE OLIVEIRA // 23H30 – 00H30

Os Digable Planets nasceram no início dos anos noventa. O trio nova-iorquino, constituído por Butterfly, Ladybug e Doodlebug, espantou com o single «Rebirth Of Slick (Cool Like Dat)», um clássico jazz-rap que ainda figura como marca sonora do projeto.

 

Kevin Morby

26 DE NOVEMBRO // ESTAÇÃO VODAFONE.FM ESTAÇÃO FERROVIÁRIA DO ROSSIO || IP // 21H10 – 22H10

Há muito de irresistível na música de Kevin Morby. Tem três discos: Harlem River (2013), Still Life (2014) e Singing Saw (2016). O tridente vem recheado de uma fusão imaculada de folk, country, pop e rock, perfumada por uma voz e estilo que lembra gente como Cohen ou Bob Dylan. O registo deste ano figurará, com toda a certeza, num dos mais aclamados nas listas anuais.

 

Howe Gelb

25 DE NOVEMBRO // SALA TOYOTA CHR CASA ALENTEJO // 23H00 – 00H00

Para os que se deleitam com os géneros Americana, alt-country, ou blues e folk-rock, Howe Gelb apresenta-se há mais de três décadas como um dos ícones que sabe harmonizar de forma brilhante todas estas sonoridades. O compositor, intérprete, instrumentista e produtor de Tucson, Arizona, tem colaborado com inúmeros artistas, editando incontáveis discos, quer em nome próprio como com os projetos que vêm imortalizando o seu nome.

 

Jagwar Ma

25 DE NOVEMBRO // COLISEU DOS RECREIOS // 00H30 – 01H30

A dupla australiana Gabriel Winterfield e Jono Ma, acompanhados ao vivo pelo conterrâneo Jack Freeman, são, desde o disco de estreia de há 3 anos, Howlin, uma das bandas sensação e com mais impacto no público e na crítica independente do momento. O disco de estreia constituiu-se como um espantoso combo de canções a vibrar de psicadelismo, rock, synth e eletrónica. Este ano oferecem mais do mesmo porque a fórmula é imbatível e contagiante.

 

Whitney

26 DE NOVEMBRO // TEATRO TIVOLI BBVA // 23H00 – 23H50

Whitney é o nome que o guitarrista Max Kakacek e o cantor-baterista Julien Ehrlich resolveram dar ao seu projeto musical. O disco de estreia destes dois amigos, Light Upon the Lake, é já uma das melhores edições de 2016. As melodias dos Whitney procuram furtar aos anos dourados do rock o som fino e clássico, mas transportando-o para os nossos dias, acrescentando-lhe uma contemporaneidade esparsa de arranjos.

 

TaxiWars

26 DE NOVEMBRO // SALA TOYOTA CHR CASA ALENTEJO // 23H10 – 00H15

Os TaxiWars resultam de uma colaboração entre Tom Barman, líder dos dEUS e o saxofonista Robin Verheyen. O projeto estende-se para um quarteto, com Nicolas Thys (baixo) e Antoine Pierre (bateria) – dois brilhantíssimos músicos belgas. Os quatro circulam à volta de uma música cheia de swing, poder e cosmopolitismo jazz. Também há rock e outros géneros na música dos TaxiWars e às vezes quase que se pressente a presença de uma nuvem-fantasma chamada Morphine. Com disco de estreia homónimo lançado no ano passado, 2016 trará Fever, bem a tempo de ser apresentado no Vodafone Mexefest.

 

Este ano no Vodafone Mexefest destaca-se, ainda, uma forte presença de música portuguesa e lusófona, com nomes como Señoritas, Lula Pena, Branko, Bruno Pernadas, Octa Push, Golden Slumbers, Fábia Rebordão, Mayra Andrade, Toty Sa’Med, Elza Soares, Céu e Mallu Magalhães.

Entre as novidades, o Vodafone Mexefest contará com dois concertos surpresa, cujos artistas, local e hora de atuação só serão revelados no próprio dia – serão ao ar livre e de entrada gratuita. Este ano, a movida dos espectadores vai também ser acompanhada durante os dois dias do festival pelos Kumpania Algazarra, que atuarão ao longo da Avenida da Liberdade entre as 20h00 e as 23h00.

La Bohemie.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *